aviso

ironicamente neste espaço público existe o mais sórdido, o mais íntimo e o mais verdadeiro de mim e tudo quanto foi extraído

frequentemente usei palavras que não entendo, imitei escritores e escritas: forçadamente rebuscado ou forçadamente não-rebuscado

nunca encontrei verdade, mas ainda assim fui real: escrevi com a vontade dura e inegável do caroço do abacate

23/03/2011

Andante de Um Olhar





Os olhos eram duas pontes que apontavam direto pro meu peito; 

duas trilhas estiradas no meu peito e entravam em mim como setas
duas estradas castanhas de se perder a vista, como fossem uma eterna sensação de longa viagem e de regresso exausto e prazeroso – ao mesmo tempo. 

Eu nunca soube aonde esses caminhos iriam me levar e, numa surpresa deleitável, acabo trombando comigo mesmo no meio do caminho;

Achei um Eu perdido (perdido?) lá dentro dela e invés de escravizá-lo
 – como muitos fazem ao encontrarem-se nos outros –, 
decidi viajar por suas paragens comigo mesmo 
e provar a liberdade dessa alma 
tão fecunda.

____________________________________________
(inspirado nela, minha musa ["musa..." ela vai achar isso terrivelmente brega] dos olhos nublados e
dedicado ao amigo 
Rogério Lupo, meu eu grisalho.)