02/02/2011

Ela Odeia Blues

(Ao Anônimo)

 


É a dona das minhas olheiras e
manhãs dilatadas;
talvez por isso a garrafa de café
quase sempre vazia
e umas pernas tão, tão brancas que dão até vontade de morrer
com a cabeça lá
no meio

e o Blues vai tocando
junto com a gente
mas dessa vez ela nem se importa ou reclama
pois sorri faceira
e nua

4 comentários:

  1. Às vezes aquilo que nos contesta, sem saber, nos empresta mais ânimo para que seja confessado!
    Anonimo...sinonimo de quê???

    ResponderExcluir
  2. Tropecei nesse blog e encantada fiquei presa lendo o que diz, parabéns.

    ResponderExcluir
  3. adorei a sensualidade do poema!
    com blues ainda, fica irresistível...

    um abraço,

    Talita
    História da minha alma

    ResponderExcluir