aviso

ironicamente neste espaço público existe o mais sórdido, o mais íntimo e o mais verdadeiro de mim e tudo quanto foi extraído

frequentemente usei palavras que não entendo, imitei escritores e escritas: forçadamente rebuscado ou forçadamente não-rebuscado

nunca encontrei verdade, mas ainda assim fui real: escrevi com a vontade dura e inegável do caroço do abacate

06/03/2013

Estação


Fiquei querendo escrever um texto à todos vocês que passaram tão rápido na minha vida e já se foram pra tão longe.
A gente se movimenta, a gente vai e vem e então se machuca. Não vê no jornal todos os dias as pessoas que morrem nos carros só por ir e vir de algum lugar? É isso que acontece em nossas vidas.
Certos movimentos bruscos machucam, e acredite: não sou o único vilão dessas histórias. Eu também saio machucado e em frangalhos sempre que vocês vão embora do meu peito.
Todos vocês que passaram tão rápido, deixo aqui minha eterna gratidão. Eu sou todo feito de vocês, por mais vis, por mais enganadores, por mais tristes ou decepcionados que sejam ou estejam. Por mais que os enganei, falei bobagens, os traí, os maltratei, os julguei, os esqueci, os deixei.
Sou feito de matéria-pessoa, quase um Frankstein de vidro e cola. Vocês estão aqui e eu já sou todo marcado. Sinto que o sol bate e brilha esses vidrinhos coloridos do meu peito

e dói.

Nenhum comentário:

Postar um comentário