02/08/2010

A Gente

A gente não é agente. Ser agente da própria vida é agir. A gente é reagente. Quem só reage nunca age; coage, no máximo. Então, ajamos! Seremos os ventos que balançam folhas e cabelos, casas e – por sorte – corações.

10 comentários:

  1. Teus textos e pensamentos sempre me fazem ver o mundo de uma forma nova. ;)

    ResponderExcluir
  2. e essa prosa poética aí?
    adorei
    ;*

    ResponderExcluir
  3. Ai, to tentando conduzir e agir meus ventos rsrs

    ResponderExcluir
  4. Fico muito feliz com vossos comentários, ó, damas leitoras e amigas! Haha

    É um prazer indescritivel ver que essas pequenas reflexões batem nos corações e voltam; Causam movimento em vocês e em mim.

    É como saber que as gotas de palavras que despejo aqui encontram alguma superfície e eis que se faz o eco.

    Isso me motiva demais.

    O meu muito obrigado,
    Grande beijo.

    ResponderExcluir
  5. Tá bom esse blog ein, cara. Mais organizado, novo layout... desde a ultima vez que visitei muita coisa mudou. A poesia é que não muda. O texto tá sempre bom, e essa ultima atualização é um jogo de palavras dos mais profissionais até que se prove o contrário, ou até que o site seja atualizado novamente. abraço

    ResponderExcluir
  6. pô, Felipe, muito bom! Gostei demais!

    ResponderExcluir