aviso

ironicamente neste espaço público existe o mais sórdido, o mais íntimo e o mais verdadeiro de mim e tudo quanto foi extraído

frequentemente usei palavras que não entendo, imitei escritores e escritas: forçadamente rebuscado ou forçadamente não-rebuscado

nunca encontrei verdade, mas ainda assim fui real: escrevi com a vontade dura e inegável do caroço do abacate

18/12/2012

Bitucas Beijadas


Ela, moça nova, tinha uma cara de quem já se foi – e não era "foi" de ter ido, mas de ter sido. Já não era mais nada e procurava um lar em cada olhar estranho com seus exageros sociais.

Ausentada e faltosa dela mesma, acende muitos cigarros e as bitucas já fazem um grande público ao seu redor na calçada cinza. As bitucas todas beijadas por ela e todas aos seus pés, como garotos bonitos de branco calados e surrados.

Precisou de várias paixões assim, auto-destrutivas, até que o ônibus chegasse – e chegou. Ela subiu como quem vai à forca.

Será por isso que fumam tanto? Essa gente ansiosa queima tudo rápido
demais.

6 comentários:

  1. Muito bom. Eh uma necessidade entrar aqui de vez em quando para ver seus novos escritos. parabens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, obrigado pelo feedback, Jean!
      Faz muito tempo que lê o blog?

      Abração!

      Excluir
  2. ôh sim, vc que anda postando pouco né. rsrs Ai eu descobri o teu outro blog, rsrs "ah, então tá explicado" kkkk
    Gosto da diferença entre cada texto. Eu acabo metendo os meus sentimentos em cada poema que ando escrevendo últimamente, creio que vc tem um distanciamento maior, falar de várias coisas e ainda mantem a emoção. E são sempre bem sacados, parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Não gostei. O texto é bom, sem dúvida , mas ele me me me irritou porque tem um tom estranho censurador . Parece meus psicanaliásta quando decide falar pra garantir o dinheiro da sessão. Vc devia saber, por exemplo que Clarice lispector morreu porque deixou um cigarro aceso e dormiu. Que Bandeira fumava humildemente e pensava nos amores que teve, e que as pessoas ansiosas fumam porque é um prazer assoprar nuvens . Eu pagaria essas bitucas e desenharia um pênis no chão, então ficaria satisfeita pq a vida ia parecer uma tela surrealista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, eu. Um cigarro e suas respectivas bitucas com certeza nunca são iguais e sinto que acompanham o ânimo de quem os fuma!
      Sinto ainda que, ao escrever, mesmo falando sobre a queima nervosa de cigarros não sabia que todo tipo de censura (mesmo aquela sobre as facetas reprimidas socialmente da vida, como o ódio, a ansiedade..) são infelizes.
      Obrigado por comentário tão vindo do coração, é um prazer que me faz querer escrever!

      Excluir
  4. Essas bitucas beijadas, me parecem as palavras que sufocam o desejo que 'ele's têm de falar.
    talvez medo, talvez orgulho, talvez um vício mesmo.

    Texto maravilhoso, estou me embriagando desse blog.

    ResponderExcluir